Receba informações por e-mail

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

1ª MOSTRA DE LITERATURA PERIFÉRICA DE PRAIA GRANDE

Dever cumprido.Esse foi o sentimento que me invadiu após o termino da 1° mostra de literatura periférica em Praia Grande onde mais de 10 livros estavam presentes em uma mesa,unindo pessoas de diversas idadese cidades.Naquela tarde de domingo ,num sol escaldante algumas pessoas pararam para assistir ao vídeo institucional da ong arco iris ,entidade que usa o hip hop como instrumento de transformação, e mais do que isso pararam ouvir sobre literatura marginal  periférica e poesia.Na cohab ,mais precisamente na Casinha branca a literatura marginal periférica deu novos passos e deixou  um enorme rastro de palavras.Naquela tarde a literatura pediu passagem e quem esteve presente pode apreciar Buque de aço poesia de Marah Mends e ouvir um rap acapela na voz de ludimar ,uma senhora de 62 anos ,que transforma matérias escolares dificeis em rap, e como os manos costumam dizer enquanto a elite pensa que a periferia mal sabe ler , produzimos literatura da melhor qualidade , e como já disse o poeta Renan inquérito que lançou no dia o livro #Poucas Palavras " se a história é nossa deixa que nóis escrevi" e naquela tarde foi escrita mais uma pagina na história da periferia ,da literatura marginal e da cultura de Praia Grande,e  como disse o escritor Toni C " vamos tirar fotos ,porque muitos vão dizer que estiveram presentes", mais eu digo que só quem passou calor naquela tarde vai poder explicar aquele momento mágico.
Valeu 1° Mostra de Literatura .

Poesia em homenagem aos poetas da mostra
                                  
                                 Aos Poetas
Naquele dia  decidi fazer um Brinde  aos poetas da periferia
Percebi que assim como Vulgo Elemento
Tenho uma Constelação de Ideias
Como Hugo Paz por onde passo deixo
Um Rastro de Palavras
Como Toni C acredito e tenho
Um Sonho de Periferia
E sigo Pelas Periferias do Brasil
Levando a informação como Oliveira
Tendo o mesmo pensamento que a  Marah Mends 
Sinto que o que mais me incomoda
É a Falta de Respeito
E assim como Pelé Acredito
O sonho dos Guerreiros não Morre
E como Abel digo que não irei me perder
Entre egos e Ambições
E se brinco com as palavras como Ludimar
Isso não passa de Ludicidade
E sigo como Fernandes deixando
Minhas pegadas na areia
Versando Poesias de um mundo louco
e Como Renan em Poucas Palvras
 Acredito na mudança.


 

 

 

 

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...